2011 – uma crise na administração/governança

Os Protestos que marcaram 2011 mostram indiganação com corrupção na política e nos setores públicos

Issued by Transparency International Secretariat



A corrupção continua a ser uma praga em muitos países ao redor do mundo, de acordo com o Índice de Percepção da Corrupção 2011 que a Transparência Internacional libera hoje. Ele mostra que alguns governos falham em proteger os cidadãos da corrupção, seja pelo abuso de recursos públicos, suborno ou a tomada de decisões de forma obscura.

Transparência Internacional advertiu que protestos ao redor do mundo, freqüentemente alimentados pela corrupção e instabilidade econômica, claramente mostram que os cidadãos sentem que seus lideres e instituições públicas não são transparentes nem responsáveis o suficiente.

“Este ano, temos visto a corrupção nos cartazes dos protestantes, sejam eles ricos ou pobres. Seja numa Europa atingida pela crise de dívidas ou em um mundo Árabe começando uma nova era política, os lideres devem prestar atenção nas demandas por um governo melhor,” disse Huguette Labelle, Presidente de Transparência Internacional.

Índice de Percepção de Corrupção de 2011: Os resultados

As notas do índice de 183 países e territórios vão de 0 (altamente corrupto) até 10 (muito limpo) baseado nos níveis percebidos de corrupção do setor público. Utiliza dados de 17 pesquisas que olham para fatores tais como, o cumprimento de leis anticorrupção e conflitos de interesse.

Dois terços dos países classificados apresentaram nota menor que 5.

A nova Zelândia ficou em primeiro, seguida da Finlândia e Dinamarca. A Somália e a Coréia do Norte (incluídas no índice pela primeira vez) são os últimos.

“2011 viu o movimento por uma maior transparência tomar um momento irreversível, à medida que cidadãos ao redor do mundo exigem responsabilidades e transparência dos seus governos. Os países com altas notas mostram que com o tempo os esforços para melhorar a transparência podem se mantidos, bem sucedidos e beneficiar seu povo,” disse o Diretor Executivo da Transparência Internacional, Cobus de Swardt.

A maioria dos países da Primavera Arabe se categoriza na metade inferior do índice, tendo nota abaixo de 4. Antes da Primavera Árabe, um relatório de Transparência Internacional sobre a região advertiu que o nepotismo, o suborno, e o patronato estavam tão enraizados na vida do cotidiano, tanto que mesmo as leis anticorrupção existentes tinha pouco impacto.

Os países da zona Européia que sofrem de crises de endividamento, em parte devido as falha das autoridades em atacar o suborno e a evasão de impostos que são os fatores chaves da crise de endividamento, estão entre os países com menor nota da União Européia.

 

Transparência Internacional é a organização global da sociedade civil que lidera a luta contra a corrupção

Observação para os editores: O Índice de Percepção de Corrupção é composto de 17 pesquisas diferentes e avaliações. A nota do país em um ano não pode ser comparada à sua nota no ano anterior. A informação de como o Índice é preparado, está disponível em FAQ (Questões Freqüentemente Perguntadas).

Para a posição completa e as tabelas regionais, vá para: http://www.transparency.org/cpi

  País com a Maior nota País com a Menor nota
Américas Canadá
Nota: 8.7
Classificação: 10
Haiti
Nota: 1.8
Classificação: 175
Ásia Pacifico Nova Zelândia
Nota: 9.5
Classificação: 1
Coréia (Norte)
Nota: 1.0
Classificação: 182
Europa & Ásia Central Dinamarca/ Finlândia
Nota: 9.4
Classificação: 2
Uzbequistão
Nota: 1.6
Classificação: 177
Oriente Médio e
Norte da África
Qatar
Nota: 7.2
Classificação: 22
Iraque
Nota: 1.8
Classificação: 175
África do Sub-Saara Botsuana
Nota: 6.1
Classificação: 32
Somália
Nota: 1.0
Classificação: 182
G20 Austrália
Nota: 8.8
Classificação: 8
Rússia
Nota: 2.4
Classificação: 143
OECD Nova Zelândia
Nota: 9.5
Classificação: 1
México
Nota: 3.0
Classificação: 100
UE Dinamarca/ Finlândia
Nota: 9.4
Classificação: 2
Bulgária
Nota: 3.3
Classificação: 86

 


For any press enquiries please contact

Thomas Coombes, Senior Press Officer
Transparency International
T: +49 30 34 38 20 662
E: .(JavaScript must be enabled to view this email address)

Latest

Support Transparency International

Risky business: Europe’s golden visa programmes

Are EU Member States accepting too much risk in their investor migration schemes?

Future Against Corruption Award 2018

TI is calling on young people across the globe to join the anti-corruption movement. People between the age of 18 and 35 are invited to submit a short video clip presenting their idea on new ways to fight corruption. Three finalists will be invited to Berlin during the International Anti-Corruption Day festivities to be awarded with the Future Against Corruption Award. Apply today!

The Azerbaijani Laundromat one year on: has justice been served?

In September last year, a massive leak of bank records from 2012 to 2014 showed that the ruling elite of Azerbaijan ran a $3 billion slush fund and an international money laundering scheme. One year on, has enough been done to hold those involved to account?

Right to information: knowledge is power

The right to information is vital for preventing corruption. When citizens can access key facts and data from governments, it is more difficult to hide abuses of power and other illegal activities - governments can be held accountable.

Paradise lost among Maldives dodgy land deals

Should tourists run for cover as a storm of corruption allegations sweeps across the Maldives?

Foreign bribery rages unchecked in over half of global trade

There are many losers and few winners when companies bribe foreign public officials to win lucrative overseas contracts. In prioritising profits over principles, governments in most major exporting countries fail to prosecute companies flouting laws criminalising foreign bribery.

Ensuring that climate funds reach those in need

As climate change creates huge ecological and economic damage, more and more money is being given to at-risk countries to help them prevent it and adapt to its effects. But poorly governed climate finance can be diverted into private bank accounts and vanity projects, often leading to damaging effects.

Social Media

Follow us on Social Media