2011 – uma crise na administração/governança

Os Protestos que marcaram 2011 mostram indiganação com corrupção na política e nos setores públicos

Issued by Transparency International Secretariat



A corrupção continua a ser uma praga em muitos países ao redor do mundo, de acordo com o Índice de Percepção da Corrupção 2011 que a Transparência Internacional libera hoje. Ele mostra que alguns governos falham em proteger os cidadãos da corrupção, seja pelo abuso de recursos públicos, suborno ou a tomada de decisões de forma obscura.

Transparência Internacional advertiu que protestos ao redor do mundo, freqüentemente alimentados pela corrupção e instabilidade econômica, claramente mostram que os cidadãos sentem que seus lideres e instituições públicas não são transparentes nem responsáveis o suficiente.

“Este ano, temos visto a corrupção nos cartazes dos protestantes, sejam eles ricos ou pobres. Seja numa Europa atingida pela crise de dívidas ou em um mundo Árabe começando uma nova era política, os lideres devem prestar atenção nas demandas por um governo melhor,” disse Huguette Labelle, Presidente de Transparência Internacional.

Índice de Percepção de Corrupção de 2011: Os resultados

As notas do índice de 183 países e territórios vão de 0 (altamente corrupto) até 10 (muito limpo) baseado nos níveis percebidos de corrupção do setor público. Utiliza dados de 17 pesquisas que olham para fatores tais como, o cumprimento de leis anticorrupção e conflitos de interesse.

Dois terços dos países classificados apresentaram nota menor que 5.

A nova Zelândia ficou em primeiro, seguida da Finlândia e Dinamarca. A Somália e a Coréia do Norte (incluídas no índice pela primeira vez) são os últimos.

“2011 viu o movimento por uma maior transparência tomar um momento irreversível, à medida que cidadãos ao redor do mundo exigem responsabilidades e transparência dos seus governos. Os países com altas notas mostram que com o tempo os esforços para melhorar a transparência podem se mantidos, bem sucedidos e beneficiar seu povo,” disse o Diretor Executivo da Transparência Internacional, Cobus de Swardt.

A maioria dos países da Primavera Arabe se categoriza na metade inferior do índice, tendo nota abaixo de 4. Antes da Primavera Árabe, um relatório de Transparência Internacional sobre a região advertiu que o nepotismo, o suborno, e o patronato estavam tão enraizados na vida do cotidiano, tanto que mesmo as leis anticorrupção existentes tinha pouco impacto.

Os países da zona Européia que sofrem de crises de endividamento, em parte devido as falha das autoridades em atacar o suborno e a evasão de impostos que são os fatores chaves da crise de endividamento, estão entre os países com menor nota da União Européia.

 

Transparência Internacional é a organização global da sociedade civil que lidera a luta contra a corrupção

Observação para os editores: O Índice de Percepção de Corrupção é composto de 17 pesquisas diferentes e avaliações. A nota do país em um ano não pode ser comparada à sua nota no ano anterior. A informação de como o Índice é preparado, está disponível em FAQ (Questões Freqüentemente Perguntadas).

Para a posição completa e as tabelas regionais, vá para: http://www.transparency.org/cpi

  País com a Maior nota País com a Menor nota
Américas Canadá
Nota: 8.7
Classificação: 10
Haiti
Nota: 1.8
Classificação: 175
Ásia Pacifico Nova Zelândia
Nota: 9.5
Classificação: 1
Coréia (Norte)
Nota: 1.0
Classificação: 182
Europa & Ásia Central Dinamarca/ Finlândia
Nota: 9.4
Classificação: 2
Uzbequistão
Nota: 1.6
Classificação: 177
Oriente Médio e
Norte da África
Qatar
Nota: 7.2
Classificação: 22
Iraque
Nota: 1.8
Classificação: 175
África do Sub-Saara Botsuana
Nota: 6.1
Classificação: 32
Somália
Nota: 1.0
Classificação: 182
G20 Austrália
Nota: 8.8
Classificação: 8
Rússia
Nota: 2.4
Classificação: 143
OECD Nova Zelândia
Nota: 9.5
Classificação: 1
México
Nota: 3.0
Classificação: 100
UE Dinamarca/ Finlândia
Nota: 9.4
Classificação: 2
Bulgária
Nota: 3.3
Classificação: 86

 


For any press enquiries please contact

Thomas Coombes, Senior Press Officer
Transparency International
T: +49 30 34 38 20 662
E: .(JavaScript must be enabled to view this email address)

Latest

Support Transparency International

Apply Now for Transparency International School on Integrity!

Apply today for the Transparency School 2018 and spend an insightful week with anti-corruption enthusiasts from all over the world!

Blog: Making Summits Meaningful: A How to Guide for Heads of Government

Heads of Government spend a lot of time in glitzy international summits. World leaders shouldn't fly around the world just for a photo op or to announce new commitments they have no intention of keeping. Here's is a how-to guide for Heads of Government to make summits meaningful.

While the G20 drags its feet, the corrupt continue to benefit from anonymous company ownership

The corrupt don’t like paper trails, they like secrecy. What better way to hide corrupt activity than with a secret company or trust as a front? You can anonymously open bank accounts, make transfers and launder dirty money. If the company is not registered in your name, it can't always be traced back to you.

Urging leaders to act against corruption in the Americas

The hot topic at the 2018 Summit of the Americas is how governments can combat corruption at the highest levels across North and South America.

The impact of land corruption on women: insights from Africa

As part of International Women’s Day, Transparency International is launching the Women, Land and Corruption resource book. This is a collection of unique articles and research findings that describe and analyse the prevalence of land corruption in Africa – and its disproportionate effect on women – presented together with innovative responses from organisations across the continent.

Passport dealers of Europe: navigating the Golden Visa market

Coast or mountains? Real estate or business investment? Want your money back in five years? If you're rich, there are an array of options for European ‘Golden Visas’ at your fingertips, each granting EU residence or citizenship rights.

How the G20 can make state-owned enterprises champions of integrity

For the first time in its presidency of the G20, Argentina is hosting country representatives from across the globe to address the best ways of curtailing corruption and promoting integrity in state-owned enterprises (SOEs).

Europe and Central Asia: More civil engagement needed (Part II)

As follow-up to the regional analysis of Eastern Europe and Central Asia, additional examples from Albania, Kosovo and Georgia highlight the need for more progress in anti-corruption efforts in these countries and across the region.

Lutte contre la corruption en Afrique: Du bon et du moins bon

La publication de la dernière édition de l’Indice de perception de la corruption (IPC) offre un bon point de repère pour situer les efforts de lutte contre la corruption que l’Union africaine (UA) poursuivra tout au long de 2018

Social Media

Follow us on Social Media

Would you like to know more?

Sign up to stay informed about corruption news and our work around the world